Projeto Mais Bragança quer Mais Turismo
29 de Março de 2018 – 14:10 | Comentários desligados

Um grupo de 15 jornalistas especializados em turismo, nacionais e estrangeiros, passaram 3 dias em Bragança a convite da Associação Comercial local
No âmbito do projeto Mais Bragança, que tem como promotor a ACISB – Associação …

Leia o artigo completo »
Roteiros e Destinos

Património natural, património construído, cultura, tradições, gastronomia, muitas são as razões para visitar o nordeste transmontano. Uma região com um enorme potencial turístico que vale a pena explorar.

Gastronomia e Vinhos

A gastronomia nordestina é marcada por pratos fortes, carregados de sabor. As carnes de raças autóctones e certificadas dominam a mesa transmontana, onde não faltam os excelentes vinhos do Douro.

Cultura e Tradições

A região nordestina soube como poucas preservar a sua cultura e tradições: as festas tradicionais comunitárias, as comemorações dos solstícios, os caretos, os pauliteiros, são apenas alguns exemplos

Património Natural

Um verdadeiro santuário natural, com três espaços protegidos: o Parque Natural de Montesinho; o Parque Natural do Douro Internacional; e no coração do nordeste fica o Parque Natureza do Azibo.

Economia e Empresas

Numa zona essencialmente rural a economia assenta na agricultura de subsistência complementada com actividades que começam a ganhar dimensão: a pecuária, a produção de castanha e alguma indústria

Início » Novidades

Obras no distrito: IP2/IC5

Enviado por em 3 de Novembro de 2011 – 15:19Comente

O mapa rodoviário no distrito está a mudar.

obras_autoestrada_2A Concessão do Douro Interior é da responsabilidade do consórcio Ascendi, liderado pela Mota-Engil e BES. Com esta obra, a população directamente beneficiada está estimada em cerca de 330 mil habitantes dos concelhos de Alijó, Murça, Mirandela, Macedo de Cavaleiros, Bragança, Miranda do Duro, Mogadouro, Alfandega da Fé, Vila Flor, Carrazeda de Ansiães, Torre de Moncorvo, Vila Nova de Foz Côa, Mêda, Trancoso e Celorico da Beira.O consórcio tem a seu cargo a concepção, construção, financiamento, manutenção e exploração, sem cobrança de portagem, de cinco lanços do IP2, entre Valebenfeito e Celorico da Beira (A25), e de três lanços do IC5, entre Murça e Miranda do Douro (o troço Mogadouro a Duas Igrejas já abriu). A concessão integra também a exploração e manutenção, sem cobrança de portagem, do lanço do IP2 entre Macedo de Cavaleiros e Valebenfeito. O IP2 vai estender-se por um total de 116 quilómetros e, atualmente, vários troços já estão abertos ao público. Segundo informação do Ministério das Obras Públicas, a nova via permitirá uma redução de 25% do tempo médio de viagem entre destinos. De Trancoso para a Guarda serão menos nove minutos, a viagem entre Vila Nova de Foz Côa e Guarda será feita em menos 18 minutos e a deslocação da Guarda para Bragança demorará menos 40 minutos, segundo os dados do Ministério. A construção destas duas vias trouxe para a região várias centenas de operários, que através da alimentação ou dormidas, deram uma nova dinâmica à economia local.

 Comentários estão fechados