Feira de Artes, Ofícios e Sabores – Vimioso
18 de Dezembro de 2013 – 10:52 | Comentários desligados

O certame engloba várias vertentes, do Artesanato aos Produtos Regionais, incluindo o concurso de Doçaria da Castanha, mas também Atuações Musicais, Montaria ao Javali e Raid TT.

Leia o artigo completo »
Roteiros e Destinos

Património natural, património construído, cultura, tradições, gastronomia, muitas são as razões para visitar o nordeste transmontano. Uma região com um enorme potencial turístico que vale a pena explorar.

Gastronomia e Vinhos

A gastronomia nordestina é marcada por pratos fortes, carregados de sabor. As carnes de raças autóctones e certificadas dominam a mesa transmontana, onde não faltam os excelentes vinhos do Douro.

Cultura e Tradições

A região nordestina soube como poucas preservar a sua cultura e tradições: as festas tradicionais comunitárias, as comemorações dos solstícios, os caretos, os pauliteiros, são apenas alguns exemplos

Património Natural

Um verdadeiro santuário natural, com três espaços protegidos: o Parque Natural de Montesinho; o Parque Natural do Douro Internacional; e no coração do nordeste fica o Parque Natureza do Azibo.

Economia e Empresas

Numa zona essencialmente rural a economia assenta na agricultura de subsistência complementada com actividades que começam a ganhar dimensão: a pecuária, a produção de castanha e alguma indústria

Início » Novidades

Feira das Cantarinhas com mais de 300 expositores este ano

Enviado por em 16 de Abril de 2012 – 9:58Comente

feira cantarinhasA feira das Cantarinhas, um dos acontecimentos mais emblemáticos de Bragança, acontece de 1 a 3 de Maio e a organização espera cimentar o estatuto de segundo maior evento da cidade.

Depois do sucesso na edição do ano passado, este ano os comerciantes locais também vão ser chamados a participar. O presidente da Associação Comercial, Industrial e de Serviços de Bragança, Jorge Alves, explicou à Brigantia que é uma forma de integrar toda a gente neste evento, através da iniciativa O Comércio Sai à Rua. “É uma imagem de marca que queremos colocar no nosso comércio tradicional, para os lojistas também venderem as suas colecções e os seus stocks na rua. A feira é isso mesmo e faz sentido o comércio tradicional sair à rua”.

Este ano o programa inclui a feira do cão de gado transmontano, a Milha das Cantarinhas, que é a tradicional prova de atletismo, e uma chega de touros no campo do 30.Jorge Alves sublinhou ainda que é preciso juntar sinergias e poupar nos recursos. “É um programa vasto, que tentamos que seja composto e variado, mas para racionalizar meios económicos e que crie atractividade nas pessoas”. Paralelamente, e até ao dia 6 de Maio, realiza-se a 26ª edição da Feira de Artesanato. Rui Caseiro, vice-presidente da câmara municipal, explicou que é uma oportunidade de os artesãos também fazerem algum negócio. “Coincide, normalmente, com o Dia da Mãe, e os comerciantes também beneficiam com isso”, frisou. Este ano, o orçamento fica-se pelos 36 mil euros.

Haverá 68 stands na feira do Artesanato e 314 na feira das Cantarinhas, um pouco menos do que os 400 que foram anunciados no ano passado.

 Comentários estão fechados