Feira de Artes, Ofícios e Sabores – Vimioso
18 de Dezembro de 2013 – 10:52 | Comentários desligados

O certame engloba várias vertentes, do Artesanato aos Produtos Regionais, incluindo o concurso de Doçaria da Castanha, mas também Atuações Musicais, Montaria ao Javali e Raid TT.

Leia o artigo completo »
Roteiros e Destinos

Património natural, património construído, cultura, tradições, gastronomia, muitas são as razões para visitar o nordeste transmontano. Uma região com um enorme potencial turístico que vale a pena explorar.

Gastronomia e Vinhos

A gastronomia nordestina é marcada por pratos fortes, carregados de sabor. As carnes de raças autóctones e certificadas dominam a mesa transmontana, onde não faltam os excelentes vinhos do Douro.

Cultura e Tradições

A região nordestina soube como poucas preservar a sua cultura e tradições: as festas tradicionais comunitárias, as comemorações dos solstícios, os caretos, os pauliteiros, são apenas alguns exemplos

Património Natural

Um verdadeiro santuário natural, com três espaços protegidos: o Parque Natural de Montesinho; o Parque Natural do Douro Internacional; e no coração do nordeste fica o Parque Natureza do Azibo.

Economia e Empresas

Numa zona essencialmente rural a economia assenta na agricultura de subsistência complementada com actividades que começam a ganhar dimensão: a pecuária, a produção de castanha e alguma indústria

Início » Novidades

Museu Judaico de Carção está pronto e deve abrir ao público ainda este ano

Enviado por em 24 de Abril de 2012 – 11:19Comente

Museu Judaico AlmocreveAs tradições judaicas estão enraizadas na aldeia de Carção, no concelho de Vimioso. As tradições e os vestígios dos judeus colocam Carção na Rota do Judaísmo. Para imortalizar este pedaço de história e trazer turistas a esta freguesia transmontana está em fase de conclusão um museu dedicado às tradições judaicas. O presidente da Associação Almocreve, responsável pela obra, diz que o museu já está a ter impacto ao nível do turismo. Para Paulo Lopes este é o espaço que faltava para enaltecer a história da freguesia de Carção. “ Tem vindo muita gente a visitar a aldeia, desde que se falou no Museu, na importância de Carção, na Rota Judaica. Vem até muita gente de Espanha”. O museu vai abrir ao público ainda este ano.” Neste momento o edifício está pronto, faltam pequenos pormenores. Julgamos que a partir de Agosto será inaugurado. Vai ter dois pisos: um para exposições temporárias e outro dedicado ao judaísmo”, acrescentou o responsável. O museu fica mesmo no centro da praça de Carção, onde ainda se encontram outros vestígios judaicos.

"A questão dos cruciformes que há em várias casas, dizerem que realmente eram judeus, o leão de Judá … as inscrições em hebraico que significam o número oito, depois a pedra lavrada onde tem lá o processo de um senhor que foi morto por partir uma cruz de cristo e isso está no lago das fontes, nas fontes tem lá a marcação de 1661 que foi a partir daí que houve o maior massacre na povoação…”, descreveu.

Quem vive em Carção fala do Judaísmo com algumas reservas, mas aplaude a construção do museu. Laura Tomé é a proprietária da Taberna Tai, situado na praça de Carção, que é também um símbolo do Judaísmo. Esta negociante de Carção sublinha que antigamente havia uma clara separação entre os judeus e os lavradores. “Agora já está tudo misturado. Antigamente os lavradores não vinham para a praça, iam para as terras trabalhar. E os judeus iam vender a azeite e à tarde vinham para a praça, para o sol”, contou. As memórias das quezílias entre judeus e lavradores ainda permanecem no seio da comunidade de Carção. Espera-se agora a criação de uma Rota Judaica em Trás-os-Montes para impulsionar o turismo associado às tradições judaicas.

 Comentários estão fechados