Feira de Artes, Ofícios e Sabores – Vimioso
18 de Dezembro de 2013 – 10:52 | Comentários desligados

O certame engloba várias vertentes, do Artesanato aos Produtos Regionais, incluindo o concurso de Doçaria da Castanha, mas também Atuações Musicais, Montaria ao Javali e Raid TT.

Leia o artigo completo »
Roteiros e Destinos

Património natural, património construído, cultura, tradições, gastronomia, muitas são as razões para visitar o nordeste transmontano. Uma região com um enorme potencial turístico que vale a pena explorar.

Gastronomia e Vinhos

A gastronomia nordestina é marcada por pratos fortes, carregados de sabor. As carnes de raças autóctones e certificadas dominam a mesa transmontana, onde não faltam os excelentes vinhos do Douro.

Cultura e Tradições

A região nordestina soube como poucas preservar a sua cultura e tradições: as festas tradicionais comunitárias, as comemorações dos solstícios, os caretos, os pauliteiros, são apenas alguns exemplos

Património Natural

Um verdadeiro santuário natural, com três espaços protegidos: o Parque Natural de Montesinho; o Parque Natural do Douro Internacional; e no coração do nordeste fica o Parque Natureza do Azibo.

Economia e Empresas

Numa zona essencialmente rural a economia assenta na agricultura de subsistência complementada com actividades que começam a ganhar dimensão: a pecuária, a produção de castanha e alguma indústria

Início » Novidades

Carrazeda de Ansiães recupera moinho de vento

Enviado por em 18 de Junho de 2012 – 10:08Comente

moinhoCarrazeda de Ansiães inaugurou ontem o único moinho de vento a funcionar na região de Trás-os-Montes, refere a rádio Brigantia.

Os moinhos mais vulgares no Nordeste Transmontano são movidos a água, mas este funciona com a força do vento. O presidente da Câmara de Carrazeda de Ansiães, José Luís Correia, sublinhou à Brigantia que esta é mais uma aposta do município na valorização do património do concelho. “Este é mais um exemplo, porque é um dos centros e motivos de atractividade para o concelho que nós pretendemos coordenar com outros motivos de atractividade no concelho”, salientou o edil. A população de Carrazeda mostra-se satisfeita com o novo monumento e acredita que vai aumentar o número de turistas a visitar a vila. “É mais um monumento que traz mais turistas ao concelho”, afirmou Esmeralda Pimentel. “É uma alegria ver este moinho a funcionar. Ainda me lembro de o ver em ruínas”, salientou Cristina Lima. Quem ergueu o moinho em ruínas garante que não foi tarefa fácil. “Complicado e demorado”, afirmou João Filipe. “Levou 15 toneladas de madeira. A maior parte do moinho é em madeira, pedra é só o exterior”, explicou João Pragal.

O moinho de vento salta à vista, mesmo à entrada da vila de Carrazeda de Ansiães. Erguido em 1900, deixou de funcionar 10 anos depois. A recuperação da infra-estrutura em ruínas representa um investimento de cerca de 97 mil euros, comparticipado em 50 por cento por fundos comunitários.

 Comentários estão fechados