Feira de Artes, Ofícios e Sabores – Vimioso
18 de Dezembro de 2013 – 10:52 | Comentários desligados

O certame engloba várias vertentes, do Artesanato aos Produtos Regionais, incluindo o concurso de Doçaria da Castanha, mas também Atuações Musicais, Montaria ao Javali e Raid TT.

Leia o artigo completo »
Roteiros e Destinos

Património natural, património construído, cultura, tradições, gastronomia, muitas são as razões para visitar o nordeste transmontano. Uma região com um enorme potencial turístico que vale a pena explorar.

Gastronomia e Vinhos

A gastronomia nordestina é marcada por pratos fortes, carregados de sabor. As carnes de raças autóctones e certificadas dominam a mesa transmontana, onde não faltam os excelentes vinhos do Douro.

Cultura e Tradições

A região nordestina soube como poucas preservar a sua cultura e tradições: as festas tradicionais comunitárias, as comemorações dos solstícios, os caretos, os pauliteiros, são apenas alguns exemplos

Património Natural

Um verdadeiro santuário natural, com três espaços protegidos: o Parque Natural de Montesinho; o Parque Natural do Douro Internacional; e no coração do nordeste fica o Parque Natureza do Azibo.

Economia e Empresas

Numa zona essencialmente rural a economia assenta na agricultura de subsistência complementada com actividades que começam a ganhar dimensão: a pecuária, a produção de castanha e alguma indústria

Início » Novidades

Festival Sons e Ruralidades arranca no próximo fim-de-semana no planalto mirandês

Enviado por em 17 de Setembro de 2012 – 9:22Comente

festival_sons_e_ruralidadesDe 21 a 23 de Setembro decorre o Festival de Ecologia, Artes e Tradições Populares – Sons&Ruralidades`12, nas aldeias de Serapicos e São Joanico, concelho de Vimioso, distrito de Bragança.

O festival Sons & Ruralidades pretende ser um novo modelo de festival cultural, superando o espaço e tempo do festival para revitalizar e regenerar a região rural do nordeste transmontano, proporcionando a todos um vasto programa de actividades, com entrada livre.

Cinema na aldeia, com a projecção do filme, por exemplo “As Quatro Voltas” de Michelangelo Frammartino, o Ciclo do Pão, percurso pedestre na companhia do Burro de Miranda pelos moinhos do rio Angueira, a transformação do grão em farinha num moinho de rio, a confecção do pão e a cozedura em forno de lenha, piqueniques, mesas redondas, de que é exemplo “Agricultura, Espaço e Desenvolvimento Rural”, Teatro e Marionetas de Mandrágora com “Casa dos Ventos”, uma criação de Filipa Mesquita, música com THE MCCOOKERS (Ska & reggae), feira de burros, desfile de burros pelas ruas da aldeia, animação musical com JORGE RIBEIRO e mercado das aldeias são algumas das vastas propostas que o festival oferece.

Abençoada pela Natureza a região possui uma forte relação com a terra através das actividades agrárias. Apesar disto está em processo de despovoação em parte devido à perda de importância da agricultura como motor de dinamismo dos espaços rurais e por uma desagrariação do meio rural e a consequente migração e envelhecimento da população.

Este festival faz parte de um programa de desenvolvimento para a região, procurando que a arte e a cultura sejam a causa para a sua revitalização, procurando novas aproximações artísticas, sociais e económicas. Estimulando sinergias entre o património faunistico e floristico e o património cultural, material e imaterial. Pensando os humanos como parte da natureza e a biodiversidade como um todo. Criando novas oportunidades de criar e de reflectir colectivamente sobre o desenvolvimento local e proporcionando novas visões de futuro.

De forma a estabelecer uma sólida fundação ética para a sociedade global emergente ajudando a construir um mundo sustentável baseado no respeito pela natureza, direitos humanos, justiça económica e uma cultura de paz. Tornando-se imperativo que assumamos responsabilidade pelos outros, por todos os seres e para as futuras gerações.

 Comentários estão fechados