Feira de Artes, Ofícios e Sabores – Vimioso
18 de Dezembro de 2013 – 10:52 | Comentários desligados

O certame engloba várias vertentes, do Artesanato aos Produtos Regionais, incluindo o concurso de Doçaria da Castanha, mas também Atuações Musicais, Montaria ao Javali e Raid TT.

Leia o artigo completo »
Roteiros e Destinos

Património natural, património construído, cultura, tradições, gastronomia, muitas são as razões para visitar o nordeste transmontano. Uma região com um enorme potencial turístico que vale a pena explorar.

Gastronomia e Vinhos

A gastronomia nordestina é marcada por pratos fortes, carregados de sabor. As carnes de raças autóctones e certificadas dominam a mesa transmontana, onde não faltam os excelentes vinhos do Douro.

Cultura e Tradições

A região nordestina soube como poucas preservar a sua cultura e tradições: as festas tradicionais comunitárias, as comemorações dos solstícios, os caretos, os pauliteiros, são apenas alguns exemplos

Património Natural

Um verdadeiro santuário natural, com três espaços protegidos: o Parque Natural de Montesinho; o Parque Natural do Douro Internacional; e no coração do nordeste fica o Parque Natureza do Azibo.

Economia e Empresas

Numa zona essencialmente rural a economia assenta na agricultura de subsistência complementada com actividades que começam a ganhar dimensão: a pecuária, a produção de castanha e alguma indústria

Início » Novidades

Bragança. Monumentos com música no próximo fim de semana.

Enviado por em 26 de Setembro de 2012 – 9:39Comente

8_maos_monumentos_com_musica_dentroUm dos mais emblemáticos monumentos da cidade de Bragança, a Domus Municipalis, acolhe, no próximo sábado, um dos concertos de um novo festival que durante dois meses oferece espetáculos em alguns dos principais monumentos do Vale do Douro, noticia a agência Lusa.

O “Festival 8 Mãos, monumentos com música” tem programados 12 concertos nos fins de semana de setembro e outubro, assumindo-se como um “original evento que alia o património monumental à excelência da música”.

A iniciativa tem o apoio da Direção Regional de Cultura do Norte (DRCN) e é organizada pela empresa “De Si Para Si”, contando ainda com as parcerias do Museu do Douro, da Douro Alliance e das autarquias envolvidas.

O festival começou no passado fim de semana em Penedono e Tabuaço e prossegue, no último fim de semana de setembro, em Bragança, com a atuação, no sábado à tarde, do quarteto galego de harpas “Lulavai”, na Domus Municipalis, junto à Torre de Menagem do castelo.

A Domus Municipalis é um monumento singular da arquitetura românica civil, do período tardo medieval, segundo descrição da DRCN, e acredita-se que terá servido de local de reunião aos decisores da época.

O mesmo espetáculo repete-se no domingo, à mesma hora, no Mosteiro de Santa Maria de Salzedas, ao ar livre, no pátio do “Claustro do Capítulo”.

A entrada é livre em todos os concertos.

De acordo com a DRCN, este novo festival “possui características únicas que o diferenciam de outros, uma vez que todos os concertos vão realizar-se em monumentos classificados ou de interesse público, envolvendo somente formações em quarteto”.

Harpas, violoncelos, saxofones, cordas, entre outros instrumentos, vão poder escutar-se ao longo dos dois meses em Vila Real, Bragança, Vimioso, Freixo de Espada-à-Cinta, Lamego, Tarouca, Tabuaço, Peso da Régua, Carrazeda de Ansiães, Mesão Frio e Penedono.

Os espetáculos envolvem músicos de nacionalidade portuguesa, espanhola, norte-americana, uruguaia e da República Checa.

 Comentários estão fechados