Feira de Artes, Ofícios e Sabores – Vimioso
18 de Dezembro de 2013 – 10:52 | Comentários desligados

O certame engloba várias vertentes, do Artesanato aos Produtos Regionais, incluindo o concurso de Doçaria da Castanha, mas também Atuações Musicais, Montaria ao Javali e Raid TT.

Leia o artigo completo »
Roteiros e Destinos

Património natural, património construído, cultura, tradições, gastronomia, muitas são as razões para visitar o nordeste transmontano. Uma região com um enorme potencial turístico que vale a pena explorar.

Gastronomia e Vinhos

A gastronomia nordestina é marcada por pratos fortes, carregados de sabor. As carnes de raças autóctones e certificadas dominam a mesa transmontana, onde não faltam os excelentes vinhos do Douro.

Cultura e Tradições

A região nordestina soube como poucas preservar a sua cultura e tradições: as festas tradicionais comunitárias, as comemorações dos solstícios, os caretos, os pauliteiros, são apenas alguns exemplos

Património Natural

Um verdadeiro santuário natural, com três espaços protegidos: o Parque Natural de Montesinho; o Parque Natural do Douro Internacional; e no coração do nordeste fica o Parque Natureza do Azibo.

Economia e Empresas

Numa zona essencialmente rural a economia assenta na agricultura de subsistência complementada com actividades que começam a ganhar dimensão: a pecuária, a produção de castanha e alguma indústria

Início » Novidades

Vinhais: Cidões recebe a Festa da Cabra e do Canhoto

Enviado por em 30 de Outubro de 2012 – 10:08Comente

cidoes-590x295Amanhã à noite, todos os caminhos vão dar a Cidões. A aldeia do concelho de Vinhais organiza mais uma edição da Festa da Cabra e do Canhoto.

Uma tradição ancestral e de cariz celta, regista a Brigantia. Mas este ano, a organização quer aliar a tradição à modernidade e, por isso, oferece um espectáculo diferente. “Vai ser tudo como nos outros anos, mas tudo muito mais elaborado. Vamos ter deusas celtas a acender a fogueira e um bode gigante que vamos queimar”, adianta Luís Castanheira, da Associação Raízes d’Aldeia de Cidões, salientando que “quem da cabra comer e àquele canhoto se aquecer, um ano de sorte vai ter, principalmente neste ano de instabilidade que todos nós estamos a sentir”.

Esta inovação pretende atrair mais público jovem para garantir a tradição em anos futuros. “Procurámos alargar o público-alvo desta festa às crianças e ao jovens pois, para se manterem as tradições, a malta nova deve estar presente porque eles são o garante da continuidade das tradições”, considera Luís Castanheira. Por isso “temos música celta, o grupo Quadrilha de Sebastião Antunes e o DJ Kitchen que vem dar um espectáculo de música celta”.

A organização conta este ano com o apoio da Câmara Municipal de Vinhais e da Escola Superior de Educação de Bragança. “O ano novo celta, a chamada época escura, começa precisamente a 31 de Outubro e era a época em que os druidas iam para a floresta e invocavam os mortos”, explica o docente Luís Canotilho. “Quando se introduziu a cultura judaico-cristã é que se começou a comemorar o dia de Todos os Santos e o dia dos Finados”, acrescenta, salientando que acredita “que esta é a festa mais antiga que existe dentro dos rituais de Inverno em Trás-os-Montes”.

Além dos rituais das queimadas, dos comes e bebes e da música, a noite também é de travessuras. “Um vizinho nosso tinha um carro de bois lá no curral e trancou as portas de todas as maneiras para que não lho levassem. Mas durante a noite sentiu o carro na rua e foi ver que não o tinha no curral, mas não sabe por onde lho tiraram”, conta Amália Rodrigues, uma habitante de Cidões. “Outra coisa engraçada que eu vi lá no ano passado foi uma televisão que roubaram e puseram lá no meio da aldeia com uma antena muito alta”, refere.

A organização espera receber cerca de mil pessoas amanhã à noite em Cidões e por isso, este ano, a festa também mudou de espaço e vai realizar-se no interior de uma tenda gigante.

 Comentários estão fechados