Feira de Artes, Ofícios e Sabores – Vimioso
18 de Dezembro de 2013 – 10:52 | Comentários desligados

O certame engloba várias vertentes, do Artesanato aos Produtos Regionais, incluindo o concurso de Doçaria da Castanha, mas também Atuações Musicais, Montaria ao Javali e Raid TT.

Leia o artigo completo »
Roteiros e Destinos

Património natural, património construído, cultura, tradições, gastronomia, muitas são as razões para visitar o nordeste transmontano. Uma região com um enorme potencial turístico que vale a pena explorar.

Gastronomia e Vinhos

A gastronomia nordestina é marcada por pratos fortes, carregados de sabor. As carnes de raças autóctones e certificadas dominam a mesa transmontana, onde não faltam os excelentes vinhos do Douro.

Cultura e Tradições

A região nordestina soube como poucas preservar a sua cultura e tradições: as festas tradicionais comunitárias, as comemorações dos solstícios, os caretos, os pauliteiros, são apenas alguns exemplos

Património Natural

Um verdadeiro santuário natural, com três espaços protegidos: o Parque Natural de Montesinho; o Parque Natural do Douro Internacional; e no coração do nordeste fica o Parque Natureza do Azibo.

Economia e Empresas

Numa zona essencialmente rural a economia assenta na agricultura de subsistência complementada com actividades que começam a ganhar dimensão: a pecuária, a produção de castanha e alguma indústria

Início » Novidades

Graça Morais com nova exposição em Bragança

Enviado por em 8 de Novembro de 2012 – 9:56Comente

centroartecgmChama-se “MAPAS E O ESPÍRITO DA OLIVEIRA” e tem inauguração marcada para este sábado, 10 de Novembro, às 15h00, no Centro de Arte Contemporânea Graça Morais, em Bragança.

Os trabalhos que em 1984 constituíam a série Mapas e o Espírito da Oliveira, um dos anos mais marcantes e prolíficos da carreira artística de Graça Morais e subsequentes à sua participação na XVII Bienal Internacional de Arte de São Paulo, no Brasil, associam-se agora, quase trinta anos depois, a um outro conjunto de trabalhos inéditos, produzidos especificamente para esta exposição. Mapas e o Espírito da Oliveira é, assim, o título retomado e evocativo das duas exposições que Graça Morais apresentara, em 1984, no Museu de Arte Moderna de S. Paulo e, em 1985, no Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro.

(…) O gosto e até a necessidade de trabalhar o grande formato desencadeariam, nesse período, no seu processo de criação, uma nova forma de expressão, nomeadamente por permitirem uma nova liberdade de traço. A composição é livre, esbatem-se lógicas ao ponto de misturar universos e espaços temporais muito distintos. Simultaneamente as linhas do desenho deixam uma forte impressão de independência em relação ao suporte, como se tivessem sido abruptamente interrompidas ou suprimidas a um todo, acusando uma continuidade para além dos limites da tela, desafiando o espectador a continuá-las ou a conclui-las.

(…) Numa reinvenção das formas, Graça Morais associa simultaneamente, no mesmo plano, referentes reais a figuras do fantástico, justapõe planos, faz alusões à mitologia grega ou a cenas medievais, originando o reencontro da ancestralidade com a atualidade, do real tradicional com o fantástico erudito.

A exposição, comissariada por Jorge da Costa e produzida pela Câmara Municipal de Bragança em parceria com o CACGM, estará patente até 6 de Janeiro de 2013.

 Comentários estão fechados